i ii iii iv v
Mas chegará o instante em que me darás a mão, não mais por solidão, mas como eu agora: por amor.

Quem mata o tempo não é assassino, é suicida.

DC